REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/24850
Tipo: Tese
Título: O depósito dos fundos: por uma arqueologia da obra de Erico Verissimo
Autor(es): Campos, Beatriz Badim de
Primeiro Orientador: Oliveira, Maria Rosa Duarte de
Resumo: Esta tese tem por objetivo escavar as raízes ou o “depósitos dos fundos” da obra de Erico Verissimo a partir de seu romance de estreia – Fantoches (1932/1972) – e do último – o prototexto de “A hora do sétimo anjo” (1966-1975) –, que ficou inacabado. Questionávamos se o leitmotiv da criação literária, entendida como reflexão sobre o ato de escrever, poderia gerar uma fratura no continuum da história das obras de Verissimo, traçando uma rede de interconexões sem a dependência de uma cronologia já estabelecida. Assim, elaboramos as hipóteses: o “depósito dos fundos” como essa contingência no lugar de cisão entre a abordagem linear-histórica e sua fratura, possibilitando, sob perspectiva arqueológica, a leitura das ruínas do narrar por meio de um núcleo criativo-descriativo; e o de personagens-escritores, dobras do autor, que migram entre narrativas como “formas sobreviventes”, tendo a saga como procedimento escritural. Os fundamentos teóricos vão da crítica literária a estudos filosóficos voltados à poética. Sobre o ato de criação-descriação e os conceitos de arqueologia, história e formas sobreviventes, as contribuições vieram de Agamben, Deleuze, Benjamin e Didi-Huberman. Da fortuna crítica da obra verissiana, foram relevantes Criação literária em Erico Verissimo, de Maria da Glória Bordini, O contador de histórias: 40 anos de vida literária de Erico Verissimo, organizado por Flávio Loureiro Chaves, e materiais do Acervo Literário Erico Verissimo. Quanto à metodologia, cada capítulo se dissemina a partir de um centro em deslocamento ao redor de um conceito-chave e suas derivações, em busca de ressonâncias vindas de cada livro do projeto verissiano. Concluímos que Fantoches e “A hora do sétimo anjo”, lidos na tessitura da obra de Verissimo, revelam o kairós de criação-descriação por meio das formas sobreviventes que emergem do anacronismo de sua história. Manifesta-se, de modo intempestivo, a contemporaneidade dessa obra, que não cessa de nos anunciar novas possibilidades de significações
Abstract: This thesis aims to excavate the roots or the "warehouse" of the work of Erico Verissimo from his debut novel - Fantoches (1932/1972) and the last one - the prototext of "A hora do sétimo anjo" (1966 -1975) – which was unfinished. We questioned whether the leitmotiv of literary creation, understood as a reflection on the act of writing, could generate a fracture in the continuum of the history of Verissimo's works, tracing a network of interconnections without depending on an already established chronology. Thus, we elaborate the hypotheses: the “warehouse” as this contingency in place of a split between the linear-historical approach and its fracture, enabling, from an archaeological perspective, the reading of the ruins of narrating through a creative-decreative nucleus; and that of characters-writers, folds of the author, who migrate between narratives as “surviving forms”, with the saga as a scriptural procedure. The theoretical foundations range from literary criticism to philosophical studies focused on poetics. On the act of creation-decreation and the concepts of archeology, history and surviving forms, contributions came from Agamben, Deleuze, Benjamin and Didi-Huberman. Of the critical fortune of the Verissian work were relevant Criação literária em Erico Verissimo, by Maria da Glória Bordini, O contador de histórias: 40 anos de vida literária de Erico Verissimo, organized by Flávio Loureiro Chaves, and materials from the Erico Verissimo Literary Collection. As for methodology, each chapter spreads from a shifting center around a key concept and its derivations, in search of resonances coming from each book of the Verissian project. We conclude that Fantoches and “A hora do sétimo anjo”, read in the fabric of Verissimo's work, reveal the kairós of creation-decreation through the surviving forms that emerge from the anachronism of its history. The contemporaneity of this work is untimely manifested, which does not cease to announce to us new possibilities of meanings
Palavras-chave: Erico Verissimo
Fantoches
“A hora do sétimo anjo”
Archeology
Surviving forms
CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::TEORIA LITERARIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes
metadata.dc.publisher.program: Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária
Citação: Campos, Beatriz Badim de. O depósito dos fundos: por uma arqueologia da obra de Erico Verissimo. 2021. Tese (Doutorado em Literatura e Crítica Literária) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2021.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/24850
Data do documento: 17-Dez-2021
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Beatriz Badim de Campos.pdf4,01 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.