REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Teologia
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/23592
Tipo: Dissertação
Título: Ele se vestiu de Pastor, mas o revestiram de imperador: representações de poder e resistência a partir da arte cristã na Antiguidade tardia
Autor(es): Mariotti, Lucy Terezinha
Primeiro Orientador: Ottaviani, Edelcio Serafim
Resumo: A arte cristã, simbólica e bíblica em suas origens, assumiu traços que evidenciam questões relativas ao poder. A passagem do espaço restrito das catacumbas, lugar do Pastor, para as basílicas abalizou representações artísticas novas em formas conhecidas nos ritos imperiais e assumidas na figura do Cristo Pantocrátor. O método iconográfico-iconológico verificou as representações artísticas nas suas áreas culturais, em uma relação interdisciplinar que levou em conta a história, a teologia, a filosofia e a antropologia religiosa. Para responder sobre os sinais de resistência ou profecia na arte monumental, o sentido e incidência dessas representações na vida dos cristãos e no modo como a Igreja engendra suas relações interna e externamente, o estudo confrontou os dados arqueológicos e históricos levantados por André Grabar com a crítica de Michel Foucault sobre o poder pastoral e a reflexão teológica de José Comblin. A proposta de uma “Igreja em saída”, apresentada pelo Papa Francisco na Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, instituiu também um retorno à figura do “Pastor com cheiro de ovelhas”. Esta proposta e este retorno se apresentaram como um embasamento ético-estético fecundo à vida e à arte litúrgica contemporânea e se constituíram em um dos referenciais teóricos da presente pesquisa, de cunho eminentemente bibliográfico. Por meio das análises iconográficas da arte da Antiguidade Tardia, pôde-se perceber ao menos duas concepções de mundo que se sobrepõem: uma que se opõe à condução de condutas própria ao Império romano, antes da era constantiniana, e outra que se lhe adapta, terminando por instituir formas de inclusão e, ao mesmo tempo, de exclusão de pessoas, formas essas apoiadas pela política de Constantino. À luz desse percurso, o trabalho se encerra pela elucidação do espaço litúrgico em sua força simbólica, reavivado por uma arte evangelicamente inspirada na imagem do Bom e Belo Pastor, como a contraface do Pantocrátor, que só encontra sua verdadeira realeza não num poder que oprime e exclui, mas na potência que assume, cuida e valoriza a singularidade própria de cada ovelha, particularmente daquela que desempenha sua vocação profética, desafiando toda a Igreja a fazer o mesmo
Abstract: The Christian art, symbolic and biblical in its origins, assumed traces that show power issues. The shift from the secluded space of the catacombs, Shepherd’s hut, to the basilicas, authorized new artistic representation in well-known forms destined to the imperial rites and associated with the Christ Pantocrator. The iconographic-iconological method verified the artistic depictions in their respective concerned areas, in an interdisciplinary relationship that took into account History, Philosophy, and Religious Anthropology. In order to adequately respond to the so-called signs of resistance or prophecy in the monumental art, as well as the meaning and also the incidences of such forms in Christians lives and in the various ways the Church engenders its relationships, whether intern or externally , the study confronted the archeological and historical data collected by André Grabar with Michel Foucault’s critique of the pastoral power and José Comblin’s theological reflection. Pope Francis’s proposal for “a Church which goes forth” presented in the Apostolic Exhortation Evangelii Gaudium also insisted on the return to the image of the shepherd who takes on the “smell of the sheep”. Such proposal and return are presented as a prolific ethical-esthetical foundation to build contemporary life and liturgical art, constituting one of the theoretical framework adopted in the present study, eminently bibliographical. Through the iconographic analyses of Late Antique Art, it was possible to realize at least two overlapping visions of the world: One that stands radically opposed to a standard behavior common to the Roman Empire, before the Constantinian era, and another that adapts itself, establishing ways of including and, at the same time, excluding people, both supported by Constantine. In light of these developments, as the study comes to an end, the liturgical space is understood in its symbolic power, renewed by means of art inspired by the image of the Good and Beautiful Shepherd as the counterfeit image of the Pantocrator, who may only find His true royalty, not with the power which oppresses and excludes, but in the power which assumes, cares for and values the uniqueness of each sheep, particularly that which fulfills its prophetic vocation, challenging the whole Church to do the same
Palavras-chave: Arte litúrgica
Igreja em saída
Poder
Liturgical art
Church which goes forth
Power
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::TEOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Teologia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Estudos Pós-Graduados em Teologia
Citação: Mariotti, Lucy Terezinha. Ele se vestiu de Pastor, mas o revestiram de imperador: representações de poder e resistência a partir da arte cristã na Antiguidade tardia. 2021. 286 f. Dissertação (Mestrado em Teologia) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Teologia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2021.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/23592
Data do documento: 8-Abr-2021
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Teologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Lucy Terezinha Mariotti.pdf12,83 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.