REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/26521
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorDelgado, David Dias-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/2302575156473316pt_BR
dc.contributor.advisor1Brito, Ênio José da Costa-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4048611047638668pt_BR
dc.date.accessioned2022-07-04T15:50:19Z-
dc.date.available2022-07-04T15:50:19Z-
dc.date.issued2022-05-20-
dc.identifier.citationDelgado, David Dias. Cruzes e encruzilhadas: sincretismo e identidade nos terreiros de umbanda. 2022. Dissertação (Mestrado em Ciência da Religião) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2022.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/26521-
dc.description.resumoPara as religiões de matrizes africanas, a década de 1980 tem sido marcada pelo movimento que ficou conhecido por antisincretismo ou ainda reafricanização. Embora manifestado de forma mais incisiva por matriarcas do candomblé, o tema abre início a uma série de questionamentos e revisões perante as práticas e a percepção social das religiões afro-brasileira. Em 1983 o assunto obtém maiores proporções em virtude do “Manifesto AntiSincretismo”, um documento que viria a se tornar um marco diante das religiões afrobrasileiras. Com o intuito de descristianizar e desfolclorizar os candomblés, algumas das principais autoridades dos tradicionais terreiros da Bahia se articularam e, em 27 de julho de 1983, durante a 2ª Conferência Mundial da Tradição Orixá e Cultura (COMTOC), publicaram uma carta que viria a se tornar um notório movimento em torno deste tema. A articulação tornou-se marco de discussão não somente sobre a presença de elementos simbólicos e discursivos como também, sobre a necessidade de se reafirmar uma identidade religiosa afro-brasileira, corroborando assim com a manutenção das tradições dos povos de terreiro. Para a umbanda, um movimento simétrico é percebido na década de 1950 com as discussões que traziam propostas de reafricanização da religião. Tancredo da Silva Pinto, o Tata Tancredo, torna-se ícone deste movimento que propunha o resgate das culturas africanas apagadas pelas teorias embranquecedoras do “Espiritismo de Linha”. Esta pesquisa pretende investigar os impactos que o sincretismo produziu na identidade dos povos e dos terreiros de umbanda, impactando toda uma geração que traduziu o fenômeno como uma tecnologia de resistência e sobrevivência, justificando, por vezes, o apagamento das influências africanas da religiãopt_BR
dc.description.abstractFor religions of african origins, the 1980s have been marked by the movement that became known as antisyncretism or even reafricanization. Although expressed in a more incisive way by the candomblé’s matriarchs, the theme starts the beginning of a series of questions and revisions regarding the practices and social perception of afro-brazilian religions. In 1983, the subject gained greater proportions due to the “Anti-Syncretism Manifest”, a document that would become a landmark in the face of afro-brazilian religions. With the aim of de-Christianizing and defolklorizing candomblés, some of the main authorities of the traditional Bahia’s temples articulated themselves and, on July 27, 1983, during the 2nd World Conference on Orixá Tradition and Culture (COMTOC), published a letter that would come to become a notorious movement around this theme. The articulation became a point of discussion not only about the presence of symbolic and discursive elements, but also about the need to reaffirm an afro-brazilian religious identity, thus corroborating the maintenance of the afro-religious traditions people. For umbanda, a symmetrical movement is perceived in the 1950s with the discussions that brought proposals for the reafricanization of religion. Tancredo da Silva Pinto, known as Tata Tancredo, became an icon of this movement that proposed the rescue of African cultures erased by the whitening theories of “Espiritismo de Linha”. This research intends to investigate the syncretism’s impacts produced on the people’s identity and umbanda temples, impacting an entire generation that translated the phenomenon as a technology of resistance and survival, sometimes justifying the erasure of African influences from religionen_US
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPESpt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherPontifícia Universidade Católica de São Paulopt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Ciências Sociaispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsPUC-SPpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religiãopt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectSincretismopt_BR
dc.subjectUmbandapt_BR
dc.subjectCandomblépt_BR
dc.subjectProcessos de hibridaçãopt_BR
dc.subjectReligião Afro-brasileirapt_BR
dc.subjectSyncretismen_US
dc.subjectUmbandaen_US
dc.subjectCandombléen_US
dc.subjectHybridization processesen_US
dc.subjectAfro-Brazilian religionen_US
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA::OUTRAS SOCIOLOGIAS ESPECIFICASpt_BR
dc.titleCruzes e encruzilhadas: sincretismo e identidade nos terreiros de umbandapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
David Dias Delgado.pdf1,23 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.