REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/25800
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorTrigo, Ana Luisa-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5252297743503974pt_BR
dc.contributor.advisor1Rosado-Nunes, Maria José Fontelas-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6468382496358455pt_BR
dc.date.accessioned2022-03-29T13:46:22Z-
dc.date.available2022-03-29T13:46:22Z-
dc.date.issued2022-02-16-
dc.identifier.citationTrigo, Ana Luisa. “Mulher é muito difícil”: o (des)amparo público e religioso das dependentes químicas na cracolândia de São Paulo. 2022. Tese (Doutorado em Ciência da Religião) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2022.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/25800-
dc.description.resumoA miséria e a exclusão fazem parte do cotidiano dos dependentes químicos da cracolândia de São Paulo. Para as mulheres, a situação é agravada pelos estigmas que marcam as usuárias de drogas. Ao longo dos anos, sucessivos governos fizeram da cracolândia um laboratório de programas de atendimento que se caracterizam pela falta de continuidade e por ações repressivas com mais alcance midiático do que efetivo. Em um lugar tão negligenciado pelos governos, a religião vai ocupando espaços por meio de atendimentos feitos a partir de convênios com organizações sociais e comunidades terapêuticas, religiosas em sua maioria. Esta tese tem o objetivo de averiguar o impacto dos serviços oferecidos para a população feminina que sofre com a dependência química. Por isso, a pesquisa de campo foi realizada junto a grupos públicos e religiosos que atendem as mulheres da cracolândia. A metodologia escolhida foi a qualitativa, com observação participante e entrevistas abertas feitas com mulheres acolhidas, voluntárias, missionárias e profissionais de atendimento. As hipóteses apresentadas neste trabalho são de que as mulheres dependentes químicas são mais estigmatizadas que os homens porque são julgadas pelo comportamento; os modelos de atendimentos disponíveis são voltados para o público masculino; e os grupos religiosos que atuam na cracolândia, ao mesmo tempo que acolhem as mulheres dependentes de crack e outras substâncias, potencializam os estigmaspt_BR
dc.description.abstractMisery and exclusion are part drug addicts lives in cracolândia, heart of São Paulo downtown daily. For the researched women’s group studied in this thesis, the situation is aggravated by the stigmas that mark female drug users. Over the years, successive governments have turned cracolândia into a laboratory of assistance programs that are characterized by a lack of continuity including repressive actions with more media coverage than effective results. In a place so neglected by governments, religion is taking over through agreements with social organizations and therapeutic communities, mostly of them religious. This thesis aims to investigate the impact of the services offered to the female population that suffers from drug addiction. Therefore, the field research was carried out with public and religious groups that serve women in cracolândia. The chosen methodology was qualitative, with participant observation and open interviews carried out with hosted women, volunteers, missionaries, and care professionals. The hypotheses presented in this work are that drug adict women are more stigmatized than men because they are judged by their behavior; the available service models are aimed at the male audience; and the religious groups that work in cracolândia, at the same time that they welcome women who are addicted to crack and other substances, they potentiate the stigmasen_US
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPESpt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherPontifícia Universidade Católica de São Paulopt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Ciências Sociaispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsPUC-SPpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religiãopt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectCracolândiapt_BR
dc.subjectGêneropt_BR
dc.subjectEstigmapt_BR
dc.subjectReligiãopt_BR
dc.subjectPolíticas públicaspt_BR
dc.subjectCracolândiaen_US
dc.subjectGenderen_US
dc.subjectStigmaen_US
dc.subjectReligionen_US
dc.subjectPublic policiesen_US
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA::OUTRAS SOCIOLOGIAS ESPECIFICASpt_BR
dc.title“Mulher é muito difícil”: o (des)amparo público e religioso das dependentes químicas na cracolândia de São Paulopt_BR
dc.typeTesept_BR
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Ana Luisa Trigo.pdf1,86 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.