REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Filosofia
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/21988
Tipo: Tese
Título: Εἶδος e ἰδέα: das origens da literatura grega aos primeiros diálogos de Platão
Título(s) alternativo(s): Εἶδος and ἰδέα: from origins in Greek literature to the first dialogues of Plato
Autor(es): Moreira, Julio Cesar
Primeiro Orientador: Perine, Marcelo
Resumo: Esta investigação tem como objetivo determinar qual o conteúdo semântico-histórico que Platão herda ao se apropriar dos vocábulos εἶδος e ἰδέα e como ele inicialmente utiliza essa herança na elaboração da sua filosofia. Estes termos continuam sendo objetos de estudo polêmicos entre os mais conceituados estudiosos do pensamento de Platão, em especial no que concerne à filosofia das Formas. Nesse sentido, em relação aos seus diálogos de juventude, destacam-se as disputas a respeito de um desenvolvimentismo ou unitarismo da filosofia das Formas e se o uso filosófico desses termos nesses diálogos foi ou não uma inovação propriamente platônica. Para além do uso filosófico, Platão não deixa de empregar as várias facetas semânticas já contidas em ambas as palavras, que tampouco estão livres de contestação. Em contribuição ao esclarecimento dessas e outras questões relacionadas, propomos um estudo dos termos εἶδος e ἰδέα desde suas origens na literatura grega aos primeiros diálogos platônicos, ditos de juventude. Desenvolvemos, num primeiro momento, um estudo crítico, de caráter geral filológico, em perspectiva diacrônica, da semântica de ambas as palavras desde as suas origens na literatura grega aos fragmentos dos filósofos pré-socráticos, traçando os desenvolvimentos semânticos que serão herdados por Platão. Chegando a Sócrates, deparamo-nos com a questão de como abordar sua filosofia e figura histórica. Por último, analisamos esse vocabulário das formas nos diálogos de juventude de Platão, onde a análise filosófica do conteúdo desfruta da prerrogativa metodológica, e a importância concedida à dimensão filológica está subordinada à filosófica. Argumentamos que Sócrates nunca usou εἶδος e ἰδέα em relação a sua pergunta “τί ἐστι X?”, e a inclusão deste vocabulário das formas a esta indagação seria, então, uma inovação própria de Platão. Distinguimos, ainda, todas as significações de uso corrente dos vocábulos, discernindo em que medida há nos primeiros escritos de Platão uma continuidade ou distinção em relação aos diversos âmbitos literários anteriores. No que tange à filosofia das Formas, nossos resultados vão ao encontro da interpretação unitarista
Abstract: The aim of this investigation is to determine the historical semantic content that Plato inherits from the words εἶδος and ἰδέα and the ways he initially employs this heritage in the development of his philosophy. These terms are still a matter of dispute among the most reputable scholars on Plato’s thought, especially in respect to the philosophy of Forms. In this sense, regarding Plato’s early dialogues, currently the main debate among scholars is between a developmentalist or unitarian approach to the philosophy of Forms. Another debate, among many issues, is whether the philosophical use of these words in the early dialogues are indeed a Platonic novelty. In addition to the philosophical use, Plato does not cease to employ many of the semantic aspects already inherent in both words, which are also not free of disputes about them. Seeking to shed more light on the previously mentioned and other related issues, we propose a study of the words εἶδος and ἰδέα from their origins in Greek literature to the Plato’s so-called early dialogues. First, we develop a diachronic study of the general philological and semantic aspects of εἶδος and ἰδέα from their first appearances in Greek literature to the fragments of the Presocratic philosophers, outlining the semantic development of the words as Plato would later inherit them. Then, we address Socrates and the issue of how to properly approach his philosophy and historical figure. Finally, we analyze this vocabulary of forms in Plato's early dialogues, giving the philosophical analysis methodological priority over philological analysis. We argue that Socrates never used εἶδος and ἰδέα in relation to his question “τί ἐστι X?” and that the inclusion of this vocabulary in this Socratic inquiry would thus be an addition by Plato. Furthermore, we distinguish, in the early works of Plato, all the commonly used meanings of the words while verifying to what extent Plato is consistent or different in the way he employs them when compared to the usage of the words in previous literary fields. Regarding the philosophy of Forms, our results are in line with the unitarian theory
Palavras-chave: Eidos
Idea
Chorismos
Filósofos pré-socráticos
Platão
Sócrates
Pre-socratic philosophers
Socrates
Plato
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes
metadata.dc.publisher.program: Programa de Estudos Pós-Graduados em Filosofia
Citação: Moreira, Julio Cesar. Εἶδος e ἰδέα: das origens da literatura grega aos primeiros diálogos de Platão. 2019. 170 f. Tese (Doutorado em Filosofia) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Filosofia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2019.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21988
Data do documento: 22-Fev-2019
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Filosofia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Julio Cesar Moreira.pdf1,13 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.