REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/21542
Tipo: Dissertação
Título: O anticlericalismo brasileiro: A Lanterna revisitada (1901-1935)
Autor(es): Schuck, Maria Emilia Martins Pinto
Primeiro Orientador: Queiroz, José J.
Resumo: O objetivo desta Dissertação é analisar o anticlericalismo brasileiro no jornal A Lanterna (1901-1935). Entendemos que este jornal foi o principal representante do movimento anticlerical e teve larga divulgação por todo o Brasil no século XX. Isto somente ocorreu devido principalmente às ligas anticlericais, redutos de maçons, espiritas kardecistas e anarquistas. O anticlericalismo brasileiro apresentou características especificas diferenciado, por exemplo, do anticlericalismo francês. Partimos da hipótese de que o anticlericalismo Brasileiro no jornal A Lanterna, foi muito mais de cunho religioso do que político, pois através da análise do discurso contido no jornal conseguimos identificar elementos de ataque aos clérigos de ordem moral e dogmática. Além disso, o espaço social foi campo de disputa por outras religiões no contexto de transição da monarquia para a Republica Brasileira. O processo de laicização que se iniciou na Constituição de 1891 e impulsionou o movimento anticlerical Brasileiro. Podemos observar que até meados da década de 30 o embate religioso era intenso, caracterizado por diversas formas de contestação da influência da Igreja Católica no espaço público brasileiro
Abstract: The objective of this Dissertation is to analyze Brazilian anticlericalism in the newspaper A Lanterna (1901-1935). We understand that this newspaper was the main representative of the anti-clerical movement and it was widely publicized throughout Brazil in the 20th century. This only occurred mainly due to anticlerical leagues, Masonic strongholds, Kardecist spiritists and anarchists. Brazilian anticlericalism presented specific characteristics differentiated, for example, from French anticlericalism. We started with the hypothesis that Brazilian anticlericalism in the newspaper A Lanterna was much more religious than political, because through the analysis of the discourse contained in the newspaper we were able to identify elements of attack on clerics of a moral and dogmatic order. In addition, the social space was a field of contention for other religions in the context of the transition from monarchy to the Brazilian Republic. The process of laicization that began in the Constitution of 1891 and boosted the anticlerical Brazilian movement. We can observe that until the mid-1930s the religious clash was intense, characterized by various forms of contestation of the influence of the Catholic Church in the Brazilian public space
Palavras-chave: Anticlericalismo - Brasil
A Lanterna (Jornal)
Maçonaria
Espiritismo
Anti-clericalism - Brazil
Freemasonry
Spiritualism
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA::OUTRAS SOCIOLOGIAS ESPECIFICAS
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Ciências Sociais
metadata.dc.publisher.program: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião
Citação: Schuck, Maria Emilia Martins Pinto. O anticlericalismo brasileiro: A Lanterna revisitada (1901-1935). 2018. 97 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Religião) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21542
Data do documento: 14-Set-2018
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Maria Emilia Martins Pinto Schuck.pdf1,76 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.